Variedades do futuro são apresentadas e analisadas em Dia de Campo da Jotabasso

Jotabasso é primeira propriedade a receber no solo variedades com tecnologias que só vão entrar no mercado daqui a dois anos

Diferentes cultivares com tecnologias foram semeadas no dia 09 de outubro do ano passado em uma área da Fazenda Verde, da Sementes Jotabasso, em Rondonópolis (MT). As sementes plantadas deram origem a plantas de soja com diferentes fases de desenvolvimento e distintos resultados de produtividade. Essas características foram conferidas e analisadas nesta terça-feira (22), no Dia de Campo “Tour do Máximo Rendimento”, realizado pela Jotabasso/Brasmax.

Mais de 100 pessoas participaram do evento e puderam entender os resultados obtidos. “Como se deu o comportamento da planta, como ela se desenvolveu, se ela está ‘acamando’, se ela tem potencial produtivo... Tudo isso, ou seja, todo o ciclo da cultura foi presenciado e mostrado para os nossos parceiros aqui”, explicou Pablo de Souza, gerente comercial de licenciamento cerrado da Brasmax.

De acordo com o diretor-superintendente da Jotabasso, Airton Francisco de Jesus, esse trabalho dá ao produtor a oportunidade de conhecer e escolher a melhor variedade para a região onde está localizada sua propriedade. Além disso, é preciso avaliar os produtos comerciais e os futuros lançamentos todos os anos, incluindo as novas tecnologias, reunindo ainda parceiros, produtores e profissionais do setor; por isso existe o Dia de Campo. Atualmente, a Brasmax é a principal fornecedora de germoplasma para multiplicação de sementes da Jotabasso no Mato Grosso.   

“Hoje, aqui, é o primeiro lugar em que se vê uma soja que só vai entrar no mercado daqui a dois anos, então as informações geradas a partir desse trabalho servem de suporte para o planejamento da lavoura, o planejamento comercial e da produção de sementes”, detalhou Francisco.

“Todo o portfólio comercial da Brasmax no Mato Grosso foi apresentado, assim como o posicionamento técnico desse portfólio comercial. Também apresentamos as linhagens promissoras, que são as variedades que poderão estar nas mãos do multiplicador (como a Joatabasso) e do agricultor na próxima safra. É o futuro”, ampliou Pablo.

Para que o público conheça esses produtos, a Jotabasso destina espaços experimentais para o cultivo dessas variedades. “São disponibilizadas áreas significativas para os nossos fornecedores fazerem esse trabalho e analisarem o desenvolvimento das variedades, e nós consideramos isso muito importante porque assim é possível se planejar. Estamos colhendo a safra 2018/2019, mas já estamos planejando a 2019/2020”, completou o diretor.

Francisco ainda explica que a expectativa é que as inovações apresentadas surjam como ferramentas a mais para o agricultor melhorar o desempenho e os resultados na propriedade. “E quando somos questionados pelo agricultor sobre os produtos, temos condições de oferecer informação, dados completos e corretos com base no que é visto aqui nessa área”, finalizou.

Foi em busca dessas novidades que o engenheiro agrônomo Wilton Lincoln participou do Dia de Campo. Ele é consultor de propriedades do sul de Mato Grosso, totalizando uma área de cerca de 12 mil hectares, e considera indispensável ficar de olho nas novidades do mercado.

“É preciso buscar informações sempre e acompanhar a evolução do setor. E novos materiais que dão bons resultados precisam ser levados ao produtor rural, por isso não pude perder essa oportunidade”, contou.